Ergonomia e home office, qual a responsabilidade do empregador?

Em tempos de pandemia, o home office se tornou ferramenta essencial

Em tempos de pandemia, o home office se tornou ferramenta essencial pra que a maioria dos trabalhadores pudessem manter seus empregos e sua produtividade, sem expor-se aos riscos de contágio.

Mais de um ano se passou e a situação mudou muito pouco e muitas pessoas mantem o serviço de tele trabalho em suas casas ou espaços alugados temporariamente. Alguns por opção própria e outros por indicação da empresa.

Entretanto existe um ponto de atenção que é necessário ser observado, estes espaços são improvisados e em sua maioria inadequados ergonomicamente. Afinal foram imaginados para um período relativamente curto.

O Ministério público do trabalho em Setembro de 2020 emitiu a seguinte nota técnica. “Considerando que o tele trabalho, seja na residência do trabalhador, seja tele centro, deve ser considerado como local de trabalho onde a pessoa deve permanecer ou tem de comparecer, sob controle, direito ou indireto da empresa ou pessoa do empregador, devendo ser adaptada a NR17 (telemarketing) para a realidade do tele trabalho nos pontos em que similitude das condições de trabalho”.

O que isso significa?

O empregador precisa ter o conhecimento do espaço que o seu funcionário executa suas funções em casa, tais como qual cadeira utiliza, altura do seu monitor e da mesa.

Estas informações são extremamente relevantes para que se tenha um ambiente saudável de trabalho e o controle dessa salubridade segue sendo responsabilidade das empresas.

A ergonomia se torna ferramenta essencial para que a NR 17 seja adaptada ao home office de cada funcionário. Melhorar sua postura e prevenir dores que poderão ser relacionadas ao trabalho e com alta probabilidade de futuras causas judiciais.

Será que as empresas estão prontas para isso? Você quer conhecer mais sobre o mobiliário sugerido para home office como: alturas adequadas e como controlar estes detalhes e prevenir-se até mesmo judicialmente?

Nossa ergonomista Aline Tonatto que inclusive contribui com as informações para esse conteúdo, pode certamente ajudar. Entre em contato com a gente e não passe apertos.

Isso merece ir para suas redes: